sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

no silêncio das estações.

[sem título. caneta s/papel]

e de novo a lua vem crescendo por aqui.
e de novo rebuliça tudo.
.
[a criança suja chorando no cruzamento; sinal vermelho, tanta tanta luz; buzinas; a declaração do homem para sua possível amante: "me dá um beijo? tanto tempo que minha mulher não faz isso..."; livros, poesias, suor, chuva, cinza, cor, corre-corre, compromissos, reuniões, contratos, saudades, choro preso, riso solto, silêncio]

.
"Pés, para que servem? Se tenho asas para voar."
-Frida Kahlo

4 comentários:

R.Vinicius disse...

Monica (desculpa a falta do acento, o pc esta sem o acento do seu nome). Eu gostaria de escrever tão bem assim. Divino! Voe bem alto, teu lugar é no céu com as estrelas escritora!

Abraço,

R.Vinicius

Ígor Andrade disse...

Porque eu sinto saudade do abraço que ainda não tive, também?
Abraço!

Aline Lima disse...

compartilho a msm saudade, o riso solto e o choro preso (assim no peito). raiva disso.

Ana Valeska disse...

Que lindo, poético teu texto, Monicatt! e tá se garantindo no desenho!
Vamos pensar numa expo, né? bj!