domingo, 15 de novembro de 2009

um pedaço de céu.

[imagem: Postal da Fernanda!]

E andavam assim, por aí, cada um com seu pedaço de céu. Era noite. Era tarde pra quem é do dia. Era cedo pra quem sempre é tempo. Ela estava lá e dançava e dançava. Ele veio assim, como quem quer algo. Um jeito manso, um sorriso bonito. A música, a meia-luz, o passo ainda descompassado, o riso. Foram assim, vagarinho, aos poucos. Uns silêncios, umas palavras. A distância, cada vez mais, perdia espaço pro encontro. Ela fecha os olhos. Lua cheia lá fora, alta madrugada. No meio da dança, contato, bocas que se procuram e se acham. Ela não tem medo e vai. As horas seguem e eles também. Dias que se passam. Interrogações ou reticências? Pequenos desencontros, ilhas. Os mundos se aproximando numa mansidão que se contrapõe a correria dos dias na grande cidade a beira-mar, até outra noite de lua alta e céu estrelado. Foram assim, desvendando o mapa dos corpos, as linhas do rosto e a palma das mãos. Todos os sentidos nos sentimentos do presente. O arrepio, a saliva, o toque. As mãos que tateiam com cuidado, cada milímetro explorado na medida exata. O suspiro, o suor, as pernas que se enlaçam. Mil sensações ao mesmo tempo. O mundo que pára no tempo daqueles dois. Olho no brilho do olho. Palavras bonitas. Cúmplices no silêncio. Ela sente borboletas no estômago, decide que arrisca, que vai. Ele pega na mão, olha no olho, surpreende. É assim, no tempo dentro do tempo, nas palavras que não se escrevem, nas sensações guardadas na memória, que eles caminham e compartilham suas estrelas, suas nuvens, alguns trovões, seus pedidos pras estrelas cadentes e seus pedacinhos de céu.

4 comentários:

Aline Lima disse...

,essas coisas todas (eternas, etéreas) que fazem valer a pena viver. desejo o tempo exato (sem faltar ou sobrar) para tudo. =D

Lennon Marques disse...

Lindo seu texto, Môniquinha! Sempre passo por aqui... hehehe Bjs enormes!

Silvana Nunes .'. disse...

Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog, cheguei até você e gostei do que vi, tanto que pretendo voltar mais vezes.
No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da tela do computador está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar cuidado. Em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura, da reflexão e enquanto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam. Pois o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos é o afeto e uma boa educação. Isso faz com que ela acredite na própria capacidade, seja feliz e tenha um preparo melhor para lidar com as dificuldades da vida. Nós professores temos a faca e o queijo na mão, temos conteúdo para isso. Dá trabalho sim, mas nada paga a sensação do dever cumprido, faz bem para a alma. VAMOS TODOS JUNTOS PELA EDUCAÇÃO NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR ! SIM, NÓS PODEMOS.
Se gostar da minha proposta, siga-me.
Peço que ao responder deixar sempre o link do blog, pois às vezes a mensagem entram com o link desabilitado ou como anônimo. Por causa disso fico sem ter como responder as pessoas.Os meus comentários também entram via e-mail, pois nem sempre a minha conexão me permite abrir as páginas: moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, creio que mais alto que as antenas, com isso a minha dificuldade de sinal do 3G. Espero que entenda quando não puder responder. Os únicos sons que escuto aqui é o dos pássaros, grilos, micos., caipora, saci pererê, a pisadeira, matintapereira ... e outras personagens que vivem pela mata.
Por hoje fico por aqui, Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !

É Mermo disse...

Palavras a flor da pele!
É eu tbm quero meu pedaço do céu!
Parabéns pelo post.

Juan Cruz
http://emermo.com