sábado, 3 de janeiro de 2009

dos seres invisíveis ( e sobre os amores 'in-possíveis').

( foto por: Aline Lima - maio de 2 mil e oito)

E ela, transparente que era, atravessara a multidão de corações inertes.
E ele (fez-se) invisível, indivisível, tornou-se um mistério.
E as infinitudes de possibilidades estavam tão somente nas luzes que resplandeciam num piscar de olhos.
E os olhos que nada mais viam, a não ser as cores, corriam mundo.
E de novo, o vermelho tormou-se possível.
Aos poucos, foi virando um filme noir.
Acordou com coração sobressaltado. Tudo sonho.

5 comentários:

Aline Lima disse...

Tudo sonho... será msm?
Torne real!
Não perca tempo mocinha!!!

=) Te adoro e tou na torcida aqui!

Mônica. disse...

Irmã, noites insones só dão nisso!
=)

Ana Valeska disse...

Senti que quase aconteceu Mônica! Acho que tá pertinho de deixar de ser sonho. Depois tu me diz! Bj.

Mônica. disse...

Aninha, passei perto. =)

Ígor Andrade disse...

Um sonho lido...

Grande ano pra nós, moça inspirada.

Abração!