domingo, 19 de abril de 2009

aqui e em todo lugar.

[imagem: bansky]

Onde está o amor? Alguém sabe, alguém viu?
Estará lá no alto com as estrelas ou no banco ao lado do seu?
Ás 5 da manhã ou pela madrugada?
Se jogou sem pára-quedas e teve sorte de cair no mar.
Que cor ele tinha? Disseram que amar-elo.
E se na procura você se esconde, não te procuro mais: O aqui é onde.

[mesmo assim sigo teu traço e corro teu risco.]

saiba: escrevo apenas para mim mesmo. tudo que em mim-mora.

6 comentários:

glória disse...

eu vi, é amarelo o amor. quando não tem corpo, se confunde com a luz que nos circunda. feito vontade que alumia novas descobertas. bem lindo! bjs

Mônica. disse...

Glória, de vez em quando eu vejo ele em algum lugar...é como se fosse num eterno esconde-encontro.

Aline Lima disse...

mônicat, o amor é mesmo amar-elo. sempre soube disso. (:

-Thiago Matos disse...

Porque o risco dele é o melhor. SEMPRE.

Rodolfo Nasta disse...

MÓNICA... todo lo que en tí anida (o "mora" o "vive") es poesía.
Dicen que el amor tiene el color de todos los colores, y así nos pasa del fulgurante rojo al esperanzado azul, nos aquieta en tonto gris o nos sumerge en el negro más temido.
Me encanta seguirte y leerte, aprendiendo a comprenderte un poquito mas cada día
Abrazo argentino, lejos pero fuerte
Rodolfo

Luana Ferraz disse...

que lindo...