terça-feira, 14 de abril de 2009

daquilo que pode(ria) ter sido.



Cá pensávamos com nossos botões... como numa caixinha, daquelas com os desenhos mais simples, nossa lembrança dos infinitos segundos mais bonitos... a memória, tal como verdadeira artista, deixa as cores do tempo mais bonitas, como se aqueles preciosos guardados ganhassem cada vez mais cor e mais luz. Nos dias em que o mundo parece exigir um tempo diferente do nosso, da nossa natureza, podemos abri-la e um outro mundo estará lá. No meio das possibilidades, aquilo que poderia ter sido e não foi (ou o que virá). Gosto das memórias. Guardo as boas. As bonitas. Os afetos. Não sei se você sabe, mas você está lá. Agora eu quero o que virá. Presente.

[Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida. Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades... Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei... Sinto saudades da minha infância, do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser... Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro... Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser... Sinto saudades de quem me deixou, e de quem eu deixei. Sinto saudades dos que se foram, e de quem não me despedi direito! Daqueles que não tiveram como me dizer adeus; de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre! Sinto saudades de coisas que tive e de outras que não tive mas quis muito ter!]
-da Sra. Lispector [porque sentimento que é bom, dói.]


4 comentários:

Aline Lima disse...

a 'mim-mora' é algo muito fino... sinto saudades tbm de tantas coisas que não foram, que foram que virá (em breve), que são no agora... viver deve mesmo ser isso: essa ânsia por afetos que morem, se demorem, em nos.

esses sentimentos são tão lindos que dóem mesmo! taí sua valia... =*

glória disse...

eu também sou uma criatura cheia de caxinhas guardadas de todas as cores e tamanhos, eu sou uma guardiã de pedaços reluzantes da memória, que nem você, bjs

Rodolfo Nasta disse...

MÓNICA: es así... el tiempo va pintando las cosas de otros colores. A las bonitas les pone más brillo, más luz. A las otras las esfuma hasta los grises, para que no nos perturben la luz del corazón.
Hermoso tu post y ... ¡cada día entiendo "mais"...!!! Jajajaja
Beijo pra voce menina
Rodolfo

-Thiago Matos disse...

Porque é esse tudo que poderia ter sido e não foi que nos faz caminhar a procura do que vai ser e talvez, do que já é. O tudo que poderia ter sido e não foi é bonito. Acredite. Eu acredito. Pois é ele que me faz caminhar com a dor - boa e necessaria - de um amor.
O meu Beijo.