quinta-feira, 28 de julho de 2011

.nem tudo é silêncio.

[imagem: google]

E nesse movimento, vezenquando um turbilhão de pensamentos insiste em dar um certo desassossego no peito. Uma pré-ocupação com o que "há de vir", em tentar compreender o que está além. Intensidades muitas. É, não consigo ser meio termo, não dá pra ser pela metade (mas pensar cansa sim!). Hoje, dirigindo (e pensando) tentando compreender questões as quais as vezes nem são tão claras assim, senti-me cansada e dentro do cansaço encontrei memórias bonitas. Eu quero, sempre e mais o que há de bom. Eu quero é andar descalço na beirinha da praia, sorrir junto com os meus sobre as bobagens do passado, continuar vivendo o meu amor bonito, comemorar junto as conquistas do meus amigos, ouvir gargalhadas de crianças, sentir o vento no rosto e cultivar (junto com um jardim) a paciência. Aprender a respirar para compreender as respostas silenciosas do tempo.

"Tudo é uma questão de manter / A mente quieta/A espinha ereta/ E o coração tranquilo..."

Um comentário:

Rodolfo Nasta disse...

Querida MÓNICA, después de mucho vagabundeo vuelvo por los blogs amigos. Me resulta difícil traducirte, pero es un placer volver a leerte intuyendo tus mensajes.
Beijo pra vocé menina
Rodolfo