domingo, 18 de abril de 2010

.entre a cor e a canção.

[imagem: Gustav Klimt]

O som da chuva no asfalto trazia um som suave que cortava o silêncio da urbana madrugada. Dois corpos nus, abraçados a janela, observavam mais do que a paisagem lá fora. A luz amarela dos postes, junto ao encanto da lua, bastavam no quarto que se mantinha escuro. Uma mistura de suor e encantamento. Dois corações que palpitavam em amplo compasso. Nenhuma palavra era necessária: as mãos, o toque, ditavam o ritmo e as cores daquele quadro em movimento. Admiravam o instante e escreviam linhas sinuosas e coloridas na descoberta de um mundo maior. Ela fecha os olhos e é envolvida naquele abraço. Ele a olha e sorri com os olhos. Os dedos dele por entre os cabelos dela, envolvidos cada vez mais. Ele vê, ela sente.

7 comentários:

deh ramos disse...

mas que lindo.. como lidar com tamanha docura?!

Mario Gioto disse...

e entao foi tao leve criar as imagens em mim que quase fechei os olhos..
tamanho o alumbramento.

gostei de passar por aqui ^^

Tatiane Lemos disse...

lindo, fiquei agora a imaginar a cena!

Bj

aluisio martins disse...

intenso e me fez reviver noites em pleno dia.
abs

aluisio martins disse...

amor de olhos fechados, amor maior, mais claro...
bom lugar
voltarei
abs

Rodolfo Nasta disse...

Preciosa pintura de una madrugada de amor compartida. Se me ocurre que esa ventana muestra un paisaje de tu maravilloso país, con algo de mar, algo de casas multicolores...
Y los perfumes mezclados son las mejores esencias de nosotros cuando amamos, aún de madrugada
Un beso para tí
Rodolfo

"Miмα disse...

Que texto lindo,
que blog lindo.


Voltarei mais vezes pra beber a água dessa fonte.

Te linkei em meu blog.

Parabéns!
Beijos.